halitose

maio 19, 2010

O tormento do mau hálito

O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau hálito, extremamente comum e normalmente passageiro, é aquele que ocorre ao acordarmos. Muitas pessoas dormem de boca aberta, levando a um ressecamento da boca durante a noite que como já foi explicado anteriormente, leva ao mau hálito. Porém, o fator mais importante é outro. Durante o o sono, chegamos a ficar mais de 10 horas em jejum. O corpo precisa produzir energia constantemente e em períodos de jejum há pouca glicose disponível como combustível. O organismo então passa a queimar gorduras para produzir energia. A metabolização de gorduras leva a produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões. Reparem que toda vez que estamos com muita fome ou em longos períodos de jejum, ficamos com mau hálito. Felizmente, este é fácil de resolver. É só comer. Nossos hábitos diários também influenciam no hálito. O tabagismo, o consumo regular de bebidas alcoólicas e excesso de café são causas de mau hálito. Existe também uma relação ainda pouco entendida entre obesidade e halitose. Alguns alimentos como alho e cebola são capazes de causar mau hálito por várias horas. No caso do alho, um dos gases produzidos pela sua digestão consegue ser absorvido pela circulação sanguínea e ser eliminado pelos pulmões. Por isso, o hálito ruim pode permanecer mesmo após a escovação dos dentes. Dez dicas para combater o mau Hálito 1- Beba muita água, boca seca dá mau hálito. 2- Escove bem os dentes e use o fio dental 3- Escove a língua , a saburra lingual deve ser removida, coloque na escova algum antisséptico no lugar da pasta dental. 4- Cuide da alimentação, não faça dietas radicais que cortam o carboidratos, pessoas com mais de duas horas sem se alimentar costumam apresentar mau hálito, um pãozinho no meio da dieta costuma ajudar. 5- Procure acrescentar cenoura, morango, maçã, pepinos crus ao longo do dia, eles são ótimo para o hálito. 6- Evite tomar muito café,cigarro e álcool, que tal trocar por chá ? 7- Masque chiclet sem açúcar, ele aumenta a salivação combatendo a boca seca. 8- Check up regular no dentista, para prevenir doenças da boca e remover os tártaros. 9- Água e sal costuma ser um ótimo antisséptico bucal, além de ser natural ( uma colher de sopa de sal em um copo de água ), bochechar três vezes ao dia ajuda. 10- Coma sempre bem no café da manhã, jejum e bom hálito não combinam. O mau hálito atormenta a humanidade há milênios. Existem relatos de tratamentos para o mau hálito que datam mais de 3000 mil anos. Até na Bíblia, no livro Gênesis, há menção de tratamentos para refrescar o hálito O curioso é que muitas pessoas que não tem halitose se preocupam exageradamente com seu hálito, enquanto que boa parte das que tem mau hálito, não suspeita do fato. Até 25% das pessoas que procuram atendimento médico por mau hálito, na verdade não o tem. Existes mais 40 causas diferentes para o mau hálito. Vamos focar apenas nas mais comuns. Mais de 80% dos casos se originam na própria boca. São causados pela ação da flora bacteriana natural da nossa orofaringe sobre os alimentos que ingerimos. Possuímos mais de 600 tipos de bactérias na nossa boca, muitas delas capazes de produzir gases com odor após metabolização de materiais orgânicos, principalmente proteínas. Dois pontos são críticos. O acúmulo da bactérias entre os dentes e na região posterior da língua.O cheiro da halitose provém da produção de gases por essas bactérias após a metabolização de alimentos que ficam depositados nestas regiões. Como é previsível, quanto menor a higiene bucal, mais detritos alimentares permanecem na cavidade oral, e mais intenso é o mau hálito. Inflamações como gengivites e periodontites também favorecem a halitose. A saliva é um anti-séptico bucal natural. Além de possuir substâncias antibacterianas, ela ajuda no enxague da orofaringe, diminuindo os resíduos de bactérias e alimentos. Quanto mais ressecada for a boca, pior é o hálito. Ainda na boca, outro ponto que pode dar origem ao mau hálito são as amígdalas. Pacientes com amigdalite de repetição costumam apresentam pequenas criptas em suas amígdalas que favorecem a deposição de alimentos e de restos celulares de infecções antigas, formando o cáseo ou caseum. De vez em quando, pequenas "pedrinhas" extremamente mal cheirosas se soltam destas criptas levando o paciente a imaginar que seu hálito é tão ruim quanto este odor. Na verdade, nem sempre o cáseo amigdaliano é causa de mau hálito, e não necessariamente o hálito de quem tem cáseo é tão ruim quanto o cheiro do mesmo. ( leia também: DOR DE GARGANTA - FARINGITE E AMIGDALITE ). Um tipo de mau
Buy now